Reforma Íntima

Quanto puderes, posterga a prática do mal até o momento que possas vencer
essa força doentia que te empurra para o abismo.

Provocado pela perversidade, que campeia a solta, age em silêncio, mediante
a oração que te resguarda na tranqüilidade.

Espicaçado pelos desejos inferiores, que grassam, estimulados pela onde crescente
do erotismo e da vulgaridade, gasta as tuas energias excedentes na atividade
fraternal.

Empurrado para o campeonato da competição, na área da violência, estuga o
passo e reflexiona, assumindo a postura da resistência passiva.

Desconsiderado nos anseios nobres do teu sentimento, cultiva a paciência
e aguarda a bênção do tempo que tudo vence.

Acoimado pela injustiça ou sitiado pela calúnia, prossegue no compromisso
abraçado, sem desânimo, confiando no valor do bem.

Aturdido pela compulsão do desforço cruel, considera o teu agressor como
infeliz amigo que se compraz na perturbação.

Desestimulado no lar, e sensibilizado por outros afetos, renova a paisagem
familiar e tenta salvar a construção moral doméstica abalada.

*

É muito fácil desistir do esforço nobre, comprazer-se por um momento, tornar-se
igual aos demais, nas suas manifestações inferiores. Todavia, os estímulos e
gozos de hoje, no campo das paixões desgovernadas, caracterizam-se pelo sabor
dos temperos que se convertem em ácido e fel, a requeimarem por dentro, passados
os primeiros momentos.

Ninguém foge aos desafios da vida, que são técnicas de avaliação moral para
os candidatos à felicidade.

O homem revela sabedoria e prudência, no momento do exame, quando está convidado
à demonstração das conquistas realizadas.

Parentes difíceis, amigos ingratos, companheiros inescrupulosos, co-idealistas
insensíveis, conhecidos descuidados, não são acontecimentos fortuitos, no teu
episódio reencarnacionista.

Cada um se movimenta, no mundo, no campo onde as possibilidades melhores
estão colocadas para o seu crescimento. Nem sempre se recebe o que se merece.
Antes, são propiciados os recursos para mais amplas e graves conquistas, que
darão resultados mais valiosos.

Assim, aprende a controlar as tuas más inclinações e adia o teu momento infeliz.

Lograrás vencer a violência interior que te propele para o mal, se perseverares
na luta.

*

Sempre que surja oportunidade, faze o bem, por mais insignificante que te
pareça. Gera o momento de ser útil e aproveita-o.

Não aguardes pelas realizações retumbantes, nem te detenhas esperando as
horas de glorificação.

Para quem está honestamente interessado na reforma íntima, cada instante
lhe faculta conquistas que investe no futuro, lapidando-se e melhorando-se sem
cansaço.

*

Toda ascensão exige esforço, adaptação e sacrifício.

Toda queda resulta em prejuízo, desencanto e recomeço.

Trabalha-te interiormente, vencendo limite e obstáculo, não considerando
os terrenos vencidos, porém, fitando as paisagens ainda a percorrer.

A tua reforma íntima te concederá a paz por que anelas e a felicidade que
desejas.

* * *

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Vigilância.
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: