Vida e Valores (Débitos e créditos)

O empresário Gordon Gould teve ensejo de expressar-se dizendo que, para ele, uma das coisas mais importantes desses tempos do mundo é a contabilidade de débitos e créditos. E ele alinhava uma série de razões para justificar o seu entendimento.

Vale lembrar que essa contabilidade de débitos e créditos nasceu no Século XV, mais propriamente em 1494 e foi criada por um monge franciscano chamado Luca Pacioli.

Esse monge franciscano criou essa metodologia exatamente para auxiliar aos mercadores, aos comerciantes, negociantes de Veneza que precisavam gerenciar suas economias crescentes.

Precisavam administrar seu dinheiro de uma forma eficiente e encontraram, no trabalho do monge franciscano Luca Pacioli, um elemento importantíssimo para que eles pudessem analisar perdas, ganhos, no bojo das suas realizações.

A partir daí, a Humanidade tem experimentado muito sucesso ao fazer uso dessa contabilidade: débito – crédito.

Isso entrou de tal modo na vida das comunidades do mundo inteiro que hoje faz parte dos cursos de contabilidade, de economia, de administração e usamos essa maneira de pensar, essa metodologia de lidar com valores, no nosso cotidiano.

Falamos em outros contextos a respeito de débito e crédito, em termos morais: Você tem débito comigo. Eu tenho crédito com você. Você tem créditos para comigo. Eu tenho débitos para com você.

A partir disso, a ideia de Luca Pacioli espalhou-se pelo mundo e é tão importante verificarmos que todos nós, de uma maneira ou de outra, teremos o nosso tempo de prestar contas do que estamos fazendo da nossa existência.

Não foi à toa que Jesus Cristo, um dia, exprimiu-Se dizendo que o administrador daria conta da sua administração.

Quando pensamos em administração, não é apenas a administração de negócios, de dinheiro mas, nesse sentido amplo, é a administração de nossa vida e, se não sabemos bem administrá-la, certamente contrairemos débitos.

Se conseguirmos bem administrar nossa vida, teremos os créditos decorrentes de nosso juízo, de nossa boa ação, da grandeza que criamos com a nossa vida na Terra.

Por isso é que nos cabe refletir, nos cabe pensar nessa dinâmica da vida de todos nós e de cada um em particular, que nos remete sempre a fazer esse balanço, entre os créditos que a Divindade nos confiou e os débitos que  contraímos, face ao mau uso ou ao desuso desses créditos Divinos.

É por isso que percebemos que cada vez que usamos mal, por exemplo, o crédito da palavra, usamos mal o nosso falar, adquirimos débitos para o futuro.

Cada vez que utilizamos mal o crédito da visão, criamos problemas para o nosso amanhã.

O crédito dos nossos pés, da nossa inteligência, das oportunidades sociais, tudo isto vai fazendo parte dos elementos de que dispomos na Terra para viver da melhor maneira.

Você sabe quantas bênçãos a vida lhe ofereceu e lhe oferece? A família, os amigos, o trabalho, a saúde, as oportunidades variadas e não se justifica que, diante de tantas oportunidades, façamos mau uso. Nada obstante, muitas vezes, em nome da nossa loucura, da nossa inconsciência, acabamos por usar mal os créditos que a Divindade nos confiou e teremos que acertar isso um dia.

*   *   *

É importantíssimo, nesse capítulo de débitos e créditos, na contabilidade criada por Pacioli, verificarmos que, um dia, o Codificador Espírita Allan Kardec perguntou aos Bons Espíritos a respeito do que poderíamos fazer para superarmos as tentações do mal e para realizarmos com proveito a nossa jornada terrestre.

Os Nobres Guias da Humanidade responderam que um velho sábio da Antiguidade já nos houvera dito: Conhece-te a ti mesmo.

Allan Kardec voltou à carga e perguntou: Entendi o sentido desse autoconhecimento. O problema está exatamente em como fazê-lo. Como poderemos realizar isto?

O Espírito Santo Agostinho respondeu: Fazei como eu fazia quando estava no mundo. Ao final de cada dia, fazia o levantamento de como eu houvera vivido, aquilo que realizara em prejuízo do próximo, em meu próprio prejuízo. Aquilo que eu tivesse feito em contraposição às Leis Divinas.

Fazia uma tomada de débitos e créditos, dizemos nós e, graças a isso, ficamos com uma fórmula, digamos assim, para realizar esse esforço pelo autoconhecimento.

Não é fácil porque quase sempre nos ocultamos de nós mesmos ou, pelo menos, tentamos fazê-lo. Ao nos ocultar de nós mesmos, vamos dando desculpas que nada desculpam para os nossos atos: Eu fiz porque Fulano me provocou, eu deixei de fazer porque Beltrano não me ajudou.

Vamos sempre empurrando para longe, jogando para fora de nós as responsabilidades que são nossas.

Na medida em que queremos nos conhecer de fato, assumimos nossas falhas e nossos acertos. Aquilo que erramos, colocamos no prato simbólico de uma balança e aquilo que acertamos colocamos no outro prato da balança.

A partir daí, teremos o estabelecimento do peso entre débito e crédito, o que nos sobrará.

Quando estamos fazendo esforços por nos conhecer, não nos envergonhamos dos erros que ainda cometemos e nem queremos fugir dos acertos que empreendemos.

Há coisas maravilhosas que já fazemos. Para que esconder isso de nós? Para que fingir que não fazemos? Mas, ainda há muita sombra nas nossas atitudes e por que tentar ocultar isso de nós?

Se carregarmos uma mazela, uma ferida e negarmos que a conduzimos, quando é que vamos tratá-la?

O mais especial é quando assumimos que levamos uma chaga aberta porque então muitos se apresentarão para ajudar nesse processo do tratamento.

Cada qual de nós diante da vida carrega as coisas boas que já fez, as coisas felizes que faz, seus créditos. O bom uso daquilo que Deus nos deu, o bom uso daquilo que Deus nos dá são créditos mas, muitas vezes, fugimos do bom tom, nos perdemos nesses labirintos de equívocos e carregamos débitos.

Não há nenhum motivo para desesperação, não há nenhum motivo para que nos percamos desfigurados de remorsos, desejando morrer. O tempo de agora é o tempo da oportunidade. Desejaremos viver para corrigir o que ficou mal pintado em nossa tela.

É o tempo de acertar, corrigindo o passo que não tenha sido bem dado em nossa vida e, graças a isso, trabalharemos no sentido de que a contabilidade Divina possa reconhecer nossos créditos e justificar os nossos débitos com as coisas boas que fazemos.

Foi o Apóstolo Simão Pedro que fechou de forma notável esse ensinamento ao nos dizer que o amor cobre multidões de pecados.

Todos nós na Terra somos Espíritos nessa faixa de provações, de expiações, com necessidades de aprender, de pagar dívidas mas com a grande oportunidade de desenvolver em nós o amor sob todos os aspectos consideráveis, porque somente o amor cobre multidões de pecados.

 

Transcrição do Programa Vida e Valores, de número 203

Anúncios

Mãe…Feliz Aniversário


Um momento especial de renovação para sua alma e seu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a nós capacidade de recomeçar a cada ano. 
Desejo a você, um ano cheio de amor e de alegrias. 
Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas. 
Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes. 
Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus. 
É ser grato, reconhecido, forte, destemido. 
É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo; 
Parabéns a você nesse dia tão grandioso.

Que Jesus lhe cubra de muitas bençãos e amor na sua vida!!!! 

Parabéns!!!!

Uma mensagem para as famílias das vítimas de Barbalha

Meus sinceros sentimentos para todas as famílias aqui de Barbalha!!! Fiquei muito triste com essa tragédia, que Jesus conforte todas as famílias que estão passando por esse momento de muita dor, que eles possam  entender que tudo tem sua razão de ser, e que  a vida continua após a morte! Foi um desencarne coletivo, a Doutrina Espírita nos esclarecer bem a respeito do assunto!!! Cada um com sua missão à cumprir, não sabemos ao certo se cada um deles cumpriu a sua, acredito que sim.

Vou colocar essa mensagem em homenagem!!!

Fraternos irmãos.

Nesse período de calamidades, apliquemos em nós e em torno de nós,os ensinamentos espiritas.Muitos choram o seus mortos. Muitos estão passando por necessidades.Cidades e seus habitantes em expiações coletivas.Porém, estendamos a luz da doutrina dos espíritos

em todas as direções.A doutrina dos espíritos vem esclarecer que a separação é provisória.

Esses mesmos mortos do corpo estão ao lado das pessoas que choram por eles.

Muitos ficam tristes porque não entendem a forma do desencarne. Muitos acham que existe um Deus vingativo.Muitos acham que existem um Deus ciumento e eque exige algo em troca.Espíritos cativos da carne.Com Deus não se negocia.Deus faz as suas leis.São leis divinas e universais são leis imutáveis.Façamos a propaganda da doutrina dos espíritos.Auxiliemos na eliminação da ignorância espiritual.Por isso que se faz necessário a propaganda espirita em massa.Para esclarecer a todos os espíritos cativos da carne ou não.Para dizer a todos,que a vida continua depois da morte do corpo físico.Para dizer: nascer viver,morrer,renascer infinitamente. Oremos por esses espíritos que desencarnaram e muitos não sabem disso.Vibremos por todos esses espíritos que continuam lá,

onde desencarnaram.Façamos da lei do amor,o nosso maior exemplo.Façamos da caridade,o nosso norte magnético.

Porém, façamos a maior caridade.A divulgação da doutrina dos espíritos.Porque todos nós deixaremos o corpo físico na terra.E entraremos no mundo espiritual.Com nossos débitos espirituais.Com nossos créditos espirituais.

Façamos a nossa auto espiritualização,enquanto é tempo.Pois a vida continua,além da morte do corpo físico.

Muita Luz e Paz.

Sobre as coisas belas e simples

Em palavras tudo que sinto sobre a importância das pequenas coisas!!!!

Tenho aprendido com o tempo que a felicidade vibra na frequência das coisas mais simples. Que o que amacia a vida, acende o riso, convida a alma pra brincar, são essas imensas coisas pequeninas bordadas com fios de luz no tecido áspero do cotidiano. Como o toque bom do sol quando pousa na pele. A solidão que é encontro. O café da manhã com pão quentinho e sonho compartilhado. A lua quando o olhar é grande. A doçura contente de um cafuné sem pressa. O trabalho que nos erotiza. Os instantes em que repousamos os olhos em olhos amados. O poema que parece que fomos nós que escrevemos. A força da areia molhada sob os pés descalços. O sono relaxado que põe tudo pra dormir. A presença da intimidade legítima. A música que nos faz subir de oitava. A delicadeza desenhada de improviso. O banho bom que reinventa o corpo. O cheiro de terra. O cheiro de chuva. O cheiro do tempero do feijão da infância. O cheiro de quem se gosta. O acorde daquela risada que acorda tudo na gente. Essas coisas. Outras coisas. Todas, simples assim.

Ana Jácomo

Sentir saudade…

saudade é um conjunto de sete letras que se
reuniram sob as leis da vida  para aferir
o coração e aprimorá-lo…

Ainda assim, aprendamos com a que a
saudade é quase sempre a flor da separação
que desabrocha ao sol da esperança para
retornar, por amor, a nós outros, na hora do
reencontro.
Não relaciones entraves e
amarguras. Espalhemos com todos os
companheiros da marcha humana os
valores da compreensão.

Perdoar e perdoar sempre tudo o que não
seja nossa vontade pessoal, a fim de buscarmos
a vontade de Deus e cumpri-la.

O Lar é um recinto de provas, verdadeira
escola transmitindo lições.

Francisco Cândido Xavier
Carlos Augusto

Desapego

Quantos estamos presos a grilhões invisíveis?
Esse está preso ao campo que comprou por milhões.
Outro prendeu-se à fama que lhe consome a vida.
Aquele lembra um louco em algemas de ouro.
Há quem faça do amor um cativeiro em trevas.
Se queres paz em Deus, desapega-te e ama.

Emmanuel

(Caminhos

Pequenas coisas que nos fazem felizes!

Por que as pessoas acham que para sermos felizes temos de ter muito dinheiro, bens e viajar pelo mundo, dentre outros exemplos tão freqüentemente citados em pesquisas ou enquetes? A escritora norte-americana Pearl S. Buck, Prêmio Nobel de Literatura, sempre dizia que muitas pessoas perdem as pequenas alegrias enquanto aguardam a grande felicidade.
Isso quer dizer que para se alcançar a felicidade, em primeiro lugar, se deverá iniciar uma profunda mudança por nós mesmos, isto é, não basta eu querer ser feliz porque antes de qualquer coisa deverei estar preparado para perceber a felicidade ao meu redor nas pequenas e singelas coisas da vida.
1. Levante-se todos os dias e agradeça a Deus por estar vivo
2. Ame as pessoas ao seu redor porque isso traz efeitos positivos
3. Cuide das plantas, das flores e da natureza, pois faz bem à natureza e a alma
4. Olhe sempre para o céu e se encante com o brilho das estrelas
5. Não se envergonhe por rir ou chorar porque é uma manifestação de sensibilidade
6. Sinta o cheiro da grama ou terra molhada após a chuva
7. Ande de pés descalços à beira mar e saboreie o prazer dos pingos molhados no rosto
8. Veja o por do sol ao som do bolero de Ravel em João Pessoa ou nas dunas de Jericoacoara
9. Assista a um concerto musical bem acompanhado para aliviar as tensões diárias
10. Não desperdice os seus momentos com reclamações e queixumes
11. Participe de uma festa ou vá a um luau com os amigos estreitando os laços de amizade
12. Seja otimista sempre afastando as nuvens negras que tenham aparecido no caminho
13. A coragem é um dom que lhe foi dado por Deus. Use-a quando for preciso
14. Não se lamente pelas oportunidades perdidas. Outras surgirão
15. Use no presente a experiência vivida no passado e faça o seu futuro
16. A ousadia e a persistência fazem de um degrau cansativo a escada de sua vida
17. Contribua para a felicidade alheia somente assim se sentirá uma pessoa feliz
18. Faça sempre as coisas que gosta embora respeitando aquelas que o desagradem
19. Exercite-se com moderação sempre poupando seu corpo de agressões físicas
20. Ria constantemente
21. Apaixone-se e faça os seus olhos e os dela brilharem de alegria
22. Faça amigos novos sempre mantendo os antigos
23. Ame aos que o amem
24. Durma bem às noites e acorde melhor a cada dia
25. Viaje e conheça novos lugares e culturas
26. Respeite sempre as crianças e idosos
27. Pratique constantemente uma boa ação e se transforme em uma pessoa melhor
28. Estude algo novo agora e se surpreenda com as mudanças
29. Ser especial é um dom que lhe foi dado por Deus ao nascer. Ame-o