Quer saber de mim?

Nada vale a minha paz.
Com o passar dos anos me tornei menos rígida comigo e com os outros.
Aprendi que tudo tem o tempo certo, que “eu” tenho meu tempo certo e que tentar me anteceder a fatos e situações é um desgaste desnecessário.
Não fico ruminando problemas, sentimentos de culpa, muito menos desafetos.
Me gosto livre.
Grito quando tenho que gritar, falo o que penso, mas não acumulo nada, lixo emocional exala mau cheiro e atrai moscas.
Me aceito impura, inteira, intensa, sem me questionar demais.
Convivo bem com meus pecados e virtudes.
Hoje, me importo com o que realmente vale a pena.
É impossível viver em estado de tensão, vigilância, em alta voltagem todo o tempo.
Me limitei a ser leve para não perder o humor. 
%d blogueiros gostam disto: