Pesquisador americano recebe Placa do Centenário em noite literária

 O primeiro escritor do exterior a pesquisar sobre os fatos miraculosos de Juazeiro do Norte recebeu uma Placa Comemorativa ao Centenário da cidade em noite de festas nesta quinta-feira no Memorial Padre Cícero. O professor e antropólogo Ralph Della Cava da Universidade de Columbia em Nova York (EUA) é o autor do livro “Milagre em Joaseiro”. A obra foi definida pelo reitor da UFC, Jesualdo Farias, como responsável na geração de estudiosos e escritores em torno do tema.

A placa foi entregue pelo prefeito Manoel Santana que elogiou a “clareza” como Ralph Della Cava narrou a história de Padre Cícero em sua obra. Na oportunidade, foram lançados mais cinco livros da Coleção Centenário: a reedição do “Patriarca do Juazeiro” do padre Azarias Sobreira, “Mistério do Juazeiro”, de Manoel Pereira Diniz e “Joaseiro do Padre Cícero e a Revolução de 1914”, de Irineu Pinheiro, além de dois livros inéditos: “Rostos de Juazeiro”, de Raimundo Araújo; e “Padre Cícero e Juazeiro – Textos Reunidos Coletânea sobre Padre Cícero”, do Padre Neri Feitosa.

No seu discurso, o escritor norte americano disse se sentir honrado em receber homenagens na presença de tantos juazeirenses. Conforme garantiu, o seu amor, afeto e carinho por Juazeiro do Norte só crescem. Se referindo aos livros, o prefeito Santana disse que estes resgatam fatos que, as vezes, passaram até despercebidos e nos levam de volta ao tempo se tornando importantes. Para ele, são livros que levam “para bem longe a bonita história de Juazeiro”.


Já o reitor Jesualdo Farias destacou a agenda de contribuições dadas pela Universidade Federal do Ceará para o Centenário de Juazeiro citando o Cine Ceará com a temática Religião e Religiosidade, o Congresso de Matemática, a edição de livros e o Congresso de História da Educação. Na capital, relacionou a exposição que retrata a arte e cultura juazeirenses no Museu de Artes da UFC e o show que ainda fará no dia 11 de outubro, na concha acústica da instituição reunindo artistas locais.

Outra iniciativa será a implantação da FM Universitária, cujo projeto já foi aprovado e deve entrar no ar ainda este ano. Sobre o Campus da UFC no Cariri, o reitor disse que já são 10 anos e 1.600 alunos matriculados nos seus 11 cursos, incluindo o mestrado em Desenvolvimento Regional. Para o próximo ano outros dois mestrados em Agronomia e Matemática. Segundo Jesualdo, a UFC conta com 185 professores no Cariri e mais 90 servidores.

Discursaram ainda o presidente do Conselho Editorial da Coleção Centenário, Renato Casimiro, para quem Ralph Della Cava viveu uma fase de poucos recursos bibliográficos e inspirou muitos autores. Ele disse da pretensão em lançar mais livros lembrando que essa fase inicial já atingiu 20 volumes. Já o presidente da Comissão Organizadora do Centenário, Geraldo Barbosa, destacou a importância das reedições no sentido de fazer chegar as mãos de uma nova Gama de leitores difundindo cada vez mais a nossa história.

O gerente do Centro Cultural BNB Cariri, Lênin Falcão, destacou a honradez do Banco do Nordeste em poder participar desse momento histórico. Na noite desta sexta-feira, no Campus da UFC, Ralph Della Cava receberá o título de Doutor Honoris Causa da instituição. A programação desta semana será encerrada com um show do cantor Fábio Carneirinho em homenagem aos fiéis que participam da festa em louvor à São Francisco. Será na noite deste sábado na Praça das Almas.

Demontier Tenório

Anúncios

Estudantes do ITA instalam biblioteca

Clique para Ampliar

Instalada na casa de um morador, a “Oca Literária” será gerida por crianças, adolescentes e jovens do local 
ANTÔNIO VICELMO

Uma comunidade da periferia do Crato recebeu a biblioteca Oca Literária de três estudantes

Crato. Três estudantes do curso de Engenharia do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) trocaram as festas da Expocrato por um trabalho educativo. Eles instalaram uma biblioteca comunitária no Bairro Horizonte, conhecido como Vila Carrapato, localizada no Sítio Lameiro, periferia do Crato. Em apenas uma semana, os estudantes conseguiram, por meio de doações, mais de 1.000 livros, estantes, fichários, mesas, carteiras e material de expediente.

Além de coletar o material, executaram a reforma do prédio, sob a orientação do arquiteto Waldemar Farias Filho, que aproveitou a traseira da casa de um dos moradores da comunidade para instalar a biblioteca “Oca Literária”. A inauguração, no último dia 21 de julho, teve direito à festa promovida pela comunidade, que começou com apresentação de um grupo de maracatu formado por jovens do próprio local.

A leitura é uma das vias de inclusão social e de melhoria para formação de crianças e adolescentes. A proposta do grupo de jovens é que o espaço de leitura seja gerido coletivamente pelas crianças, jovens e adultos da comunidade e contará com o apoio dos Amigos da “Oca Literária”, da Associação Comunitária do Sítio Novo Horizonte e com o acompanhamento dos educadores populares do Ponto de Cultura Carrapato Cultural. Objetivo: contribuir para a transformação e promoção do ser humano por meio de iniciativas socioeducativas e culturais.

“A melhor forma de obter conhecimento é cercar-se de bons livros”, justifica o idealizador do projeto, o cratense Bruno Parente Bezerra.

Fonte: Diário do Nordeste

Aposentado incentiva o hábito da leitura

Há cinco anos, Eliomar Alves transformou uma sala de casa em uma espécie de sebo ou livraria informal

Iguatu. Uma iniciativa inédita procura contribuir para a divulgação da leitura de obras novas e usadas entre os moradores desta cidade, localizada na região Centro-Sul. Há cinco anos, o aposentado do serviço público estadual, Eliomar Alves, transformou uma sala da casa dele, que dá acesso direto à Rua 15 de Novembro, no Centro, em uma espécie de sebo ou livraria informal. A novidade é o aluguel das obras literárias. Essa modalidade tem despertado e atraído a atenção dos leitores.

O gosto pela leitura de obras clássicas da literatura nacional e estrangeira, em particular por biografias, cultivado ao longo da vida, contribuiu para que na terceira idade, Eliomar Alves, encontrasse uma forma de ocupar o tempo, com atividade laboral e de lazer.

O projeto começou pequeno com reduzido número de volumes, mas hoje se expandiu e já ocupa meia dúzia de prateleiras, na sala que lembra mais um corredor comprido.

Clique para Ampliar

Além de livros de literatura e didáticos, na casa de Eliomar Alves, existem algumas peças de artesanato e diversos quebra-cabeças à venda. Vem atraindo leitores cada vez mais
FOTO: HONÓRIO BARBOSA

VolumesNão há uma organização com critério bibliotecário, mas o aposentado sabe onde encontrar cada volume, dispostos nas prateleiras, e guardados em sacos plásticos para evitar a poeira. O preço do aluguel de qualquer obra é de R$ 0,20 por dia. Esse mesmo valor é mantido desde o início do projeto. “Não é um empreendimento para dar lucro, mas uma forma de lazer ocupacional e cultural”, explica Eliomar Alves. “O meu objetivo é contribuir com a leitura e a minha preocupação é que os jovens deveriam ler mais”.

Gosto pela leitura

Na estatística particular do livreiro, os que mais compram e alugam livros são pessoas acima de 40 anos. “Parece que os jovens não gostam mais de ler livros”, observa. “Existem muitos poemas bons, histórias interessantes que são desconhecidas pela juventude”. Em poucos minutos de conversa, o idealizador do projeto relaciona vários autores e livros que aponta como fundamentais para a formação do conhecimento cultural.

O preço de venda dos livros é variável e o livreiro não se limita a ficar sentado, esperando a visita de um possível comprador. Diariamente, coloca algumas publicações em uma sacola e percorre ruas do Centro da cidade, oferecendo as obras para compra ou aluguel. “Ainda hoje existem aqueles que se surpreendem quando falo em alugar livro, pagando um valor diário”, comenta ele. “A maioria prefere comprar”.

Satisfação

Apesar das dificuldades e do limitado número de leitores, Eliomar Alves disse estar satisfeito com o trabalho que faz e quer se manter na atividade por mais tempo. Não pensa em parar e sempre está adquirindo publicações novas ou usadas. O sebo é o primeiro da região e surge numa época em que as livrarias não resistiram nas pequenas cidades e o acesso ao computador e à Internet avança a cada mês.

Fazer pesquisas, consultar biografias e estudar disciplinas escolares está mais fácil e rápido, a um simples clique na página para que milhares de opções surjam na tela do computador e um mundo diversificado de informações chegue ao pesquisador, mesmo que os estudantes não leiam e se limitem a copiar, colar e imprimir o trabalho.

“Ler bons livros é um hábito que deve ser cultivado e multiplicado”, frisa o livreiro, que quer manter a tradição. “A leitura nos faz viajar por sonhos, situações e lugares diversos e distantes”. Além de livros de literatura e didáticos, há algumas peças de artesanato e diversos quebra-cabeças à venda, com desafio. Quem conseguir montar em cinco minutos ganha o objeto.

MAIS INFORMAÇÕES

Sebo de Eliomar Alves
Rua 15 de Novembro, 173
Centro da cidade de Iguatu
Região do Centro-Sul

E por falar em leitura…tentando colocar em dias!!!

Partimos em busca de coisas que sabemos ser importantes e boas, mas muitas vezes estão em falta no nosso cotidiano: alimentação mais equilibrida, mais atividade física, melhorias na vida cultural. E nesta busca por cultura, a leitura é uma das primeiras lembranças que nos vêem a mente.

Falando em leitura: leitura  é uma das minhas paixões, embora eu não tenha lido os livros  que tenho vontade. Tenho vários na fila, mas vou ler todos esse ano, e minha aquisição também pôr em prática, os que pego emprestados também! Costumo anotar os lidos na agenda, é sempre bom anotar a data que começou, para se ter uma idéia de quantos dias esta levando pra ler um livro!Com a correria do dia vale a pena tirar um tempinho para ler!!!

O bem que a leitura nos traz…. As boas leituras também funcionam como procedimentos terapêutico de excelente qualidade, por enriquecerem a mente com idéias otimistas, substituindo muitos dos clichês psíquicos viciosos que induzem a comportamentos insanos….

O ler além se ser um ótimo entretenimento ele desenvolve a linguagem oral e escrita, o interpretar e a criatividade dentre outras habilidades.

O gosto pela leitura vai muito além do ler somente para se informar ou para estudar ou mesmo apresentar um trabalho sobre um determinado livro. O gosto pela leitura tem que ser incentivado através do envolvimento do leitor. Segundo a câmara Brasileira do Livro, a estimativa é de que o brasileiro lê em média 2 livros por ano. Na Inglaterra a média é de 4,9 e nos Estados Unidos 5,1 livros por ano. Sabemos que a falta de bibliotecas nas escolas e nos municípios contribuem para este índice, porém se a procura de leitores por livros aumentar, com certeza esta carência tenderá a diminuir.